Minha história e como tudo começou

Posso dizer com toda certeza que o conhecimento da Psicologia Analítica fundada por Jung foi um marco decisivo na minha vida de antes de Jung e depois de Jung. Vocês vão entender do que estou falando. Hoje em dia as coisas estão mais fáceis para quem quer buscar o conhecimento e até mesmo autoconhecimento. A evolução da tecnologia e os meios de comunicações atuais permitem variadas modalidades que possam suprir a busca de aprendizado, conhecimento e até mesmo material de apoio para o nosso autoconhecimento.

Primeiro vou falar sobre antes de Jung. Eu vivia com uma constante sensação de um vazio existencial muito grande. Nada do que fazia me preenchia, me dava aquela sensação de insatisfação interna, compreende? Era uma insatisfação íntima aliada a um vazio existencial, e doía, doía muito. Eu tinha tudo o que precisava para ser feliz, tinha meu trabalho como professora efetiva, família, casa, carro. Mas e aí, porque eu acordava com essa sensação de desânimo, infelicidade e falta de rumo na vida?

Olha só como o Universo conspira a nosso favor, como diz Paulo Coelho. A primeira vez que tive contato com Jung foi com um livro pequeno de bolso “Jung vida e obra” da Nise da Silveira, que comprei ao acaso numa livraria em Campinas. Na época eu morava em Jaguariúna e eu fui lendo esse livro no ônibus, devorando a leitura com uma avidez. Resultado: não entendi praticamente nada daqueles conceitos Junguianos que ela falava.

Passaram-se dez anos após esse primeiro contato com a Psicologia Analítica. Eu estava tendo alguns desentendimentos com meu marido, coisa de casal, mas aquilo estava me incomodando muito. Uma noite eu tive um sonho, uma voz falava literalmente mais ou menos assim:

“PROCURE NO LIVRO SOBRE JUNG E LEIA SOBRE ANIMA E ANIMUS, ESTUDE ESSE TEMA, QUE VOCÊ VAI RESOLVER SEU PROBLEMA…”

Além da voz falar foi projetada a capa do livro pra mim ver. Quando acordei lembrei do sonho e pensei: Eu tenho esse livro…! Mas nem me lembrava mais dele. O sonho ficou matutando na minha cabeça durante o dia no trabalho. Quando cheguei em casa, a primeira coisa que fiz foi procurar o livro que aquela voz me falou.

Você poderia me perguntar: Que voz é essa que você está falando? Aqui mesmo no Blog tem ua reflexão “A voz da alma” de Autoria de Rúbia A. Dantes que sintetiza de maneira poética e clara o que é ouvir segundo Jung a voz do Self, do nosso Eu Superior.

Uma outra explicação é que pode ter sido um sonho espiritual, no qual recebi orientação de um espírito protetor. Veja em Classificação dos sonhos, como podemos diferenciar os sonhos. e onde eu narro essa experiência a anos atrás no Blog…

A voz da alma

Sonhos 2ª parte: Classificação dos sonhos

Quando eu li a parte da orientação do sonho, eu confesso a vocês que fiquei muito emocionada. Conforme eu lia, ia clareando a minha mente, como se ali tivesse realmente a resposta, principalmente na parte que falava assim:

“O animus condensa todas as experiências que a mulher vivenciou nos seus encontros com o homem no curso dos milênios. E é a partir desse imenso material inconsciente que é modelada a imagem do homem que a mulher procura.

O primeiro receptáculo do animus será o pai. Transfere-se depois para o mestre, para o ator de cinema, o campeão esportivo ou o líder político. Projetado sobre o homem amado, faz dele uma imagem ideal, impossível de resistir à convivência cotidiana. Vêm as decepções inevitáveis. As relações entre o homem e a mulher ocorrem dentro do tecido fantasmagórico produzido pela anima e pelo animus. Portanto, não é para surpreender que surjam emaranhados problemas na vida dos casais.” [2]

E mais adiante…

“O animus nos seus aspectos positivos tem funções importantes a realizar. É o mediador entre inconsciente e consciente, papel desempenhado pela anima no homem. Se atentamente cuidado e integrado pelo consciente, traz à mulher capacidade de reflexão, de autoconhecimento e gosto pelas coisas do espírito.” [2]

Pronto, estava aí a resposta, toda a minha insatisfação entendi que estava negligenciando esse meu lado reflexivo, buscadora do conhecimento e de coisas que alimentam o espirito.

Desse acontecimento pra cá eu só fui somando conhecimentos que complementassem o estudo sobre os conceitos de Jung. Quando comecei a estudar Jung, não encontrava material de fácil acesso sem ser por meio de livros.

Hoje na internet encontramos artigos, cursos online, ebooks gratuitos, congressos aberto ao público que buscam autoconhecimento e não apenas a profissionais. Como é o caso do Congresso online que estou divulgando aqui no Blog “Congresso Brasileiro Online: JUNG, as Terapias e o Novo Milênio”, no qual podemos assistir as palestras e entrevistas gratuitas online, aberto ao público que fizer sua inscrição.

E ainda os responsáveis pelo desenvolvimento do Congresso vão disponibilizar para a venda um Pacote de estudo (clique aqui)  com todo o material do congresso, pra quem quiser estudar por conta própria. Não é um achado? Eu respondo que sim, porque quando comecei a estudar Jung, os livros eram caríssimos, só achava em livrarias de São Paulo.

biblioteca-jungPara formar minha biblioteca com livros sobre Jung, eu comprei livros escritos pelo próprio autor e também livros de outros estudiosos e profissionais da área que escreveram sobre a Psicologia Analítica. Alguns livros de Jung não encontrava nas livrarias, e acabei encontrando vários livros vasculhando os sebos em São Paulo quando eu ia para lá. Mas de antemão eu aviso, é difícil entender Jung por conta própria e esse material disponibilizado por esse Congresso que falei, ou cursos online, ebooks gratuitos, vão deixando todo esse conteúdo mais fácil de ser assimilado pelo público leigo.

Ah! Já ia me esquecendo quem promove o Congresso é o Lino Bertand que é o idealizador do Jung na Prática e eles tem um excelente curso online para quem quer entender, interpretar e analisar seus próprios sonhos na visão Junguiana. É todo um roteiro de estudo que vai proporcionar o autoconhecimento através dos símbolos que emergem do inconsciente através dos sonhos. Para saber mais sobre o Curso Análise dos sonhos, clique no link abaixo:

Análise dos sonhos 

E o que posso dizer sobre mim depois de Jung? Esse conhecimento da Psicologia Analítica me proporcionou um maior entendimento das coisas e muita paz comigo mesma. Sei que ainda tenho que estudar e muito, porém, estudar é uma coisa que muito me realiza, principalmente, quando nos tornamos laboratório de nós mesmos. Abordei esse assunto aqui no Blog de nós mesmos aprendermos com as nossas experiências e quando a gente assim o quer, as coisas vão se encaminhando para aquilo que mais desejamos.

Laboratório de si mesmo 

O sábio interno de cada um

Foi com estudos, interpretação e análise de meus sonhos que aprendi a compreender que os sonhos nos conduzem ao conhecimento de nós mesmos, levando a nos transformar internamente. Marie-Louise von Franz coloca no livro O homem e seus símbolos que:

“Desde que os sonhos produzem, a cada noite, diferentes cenas e imagens, as pessoas pouco observadoras não se darão conta de qualquer esquema. Mas se estudarmos os nossos próprios sonhos e sua sequência inteira durante alguns anos verificaremos que certos conteúdos emergem, desaparecem e depois retornam. Muitas pessoas sonham repetidamente com as mesmas figuras, paisagens ou situações; se examinarmos a série total destes sonhos observaremos que sofrem mudanças lentas, mas perceptíveis. E estas mudanças podem se acelerar se a atitude consciente do sonhador for influenciada pela interpretação apropriada dos seus sonhos e dos seus conteúdos simbólicos.” [2]

É partindo da minha experiência que o foco maior aqui do nosso Blog é em torno de Jung e Sonhos. Não sou especialista da área, mas posso me tornar uma especialista pelo menos de mim mesma e penso que é essa a maior MISSÃO de cada um de nós: conhecer a nós mesmos.

E por que resolvi contar minha história? É porque vejo as mesmas angústias que tive, muitos leitores buscam aqui no Blog respostas pelos seus questionamentos e indagações pessoais semelhantes às minhas, e não precisam percorrer o longo caminho que percorri, sendo que muitos tem à sua disposição um amplo material de estudo na Internet e não sabe. Depende de cada um seguir uma linha de pesquisa. Como eu já disse várias vezes aqui, Jung é quem me proporcionou melhores respostas aos meus questionamentos.

Se você gosta desse assunto: sonhos, autoconhecimento, inconsciente, autotransformação, siga-nos nas Redes Sociais e inscreva-se na Newsletter para receber as postagens atualizadas.

******************************************************************************************
Newsletter - Cadastre seu email
Após a inscrição, acesse o seu email e confirme a sua inscrição!
******************************************************************************************
 

REFERÊNCIA

[1] Vida e obra de Jung – Nise da Siveira
[2] O homem e seus símbolos – Carl G. Jung

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on Pinterest

Vilma Cândida

Vilma Cândida é professora aposentada e blogueira. Formação em Pedagogia pela Unesp, com Pós Graduação em Psicopedagogia e Pós Graduação em Terapias Alternativas pela UNIFRAN de Franca. [Saber mais] [Redes Sociais] [Cantinho da luz]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *